O que fazer em Botucatu SP?


Botucatu é um município do noroeste do estado que atrai turistas em busca de contato com a natureza e esportes de aventura. É, sem dúvida, uma das cidades para conhecer em SP.

A cidade de Botucatu faz parte do Pólo Cuesta, que é composto por dez cidades que têm como característica comum a formação geológica ideal para a prática do ecoturismo. Além de Botucatu, pertencem a essa região Areiópolis, Anhembi, Bofete, Conchas, Itatinga, Pardinho, Pratânia, Paranapanema e São Manuel.


Parque e o vale do rio Roseira, com lago e cachoeira - 37 m de queda e piscina natural | Divulgação

O que fazer em Botucatu

Uma das principais atrações turísticas de Botucatu é o Parque Ecológico da Pavuna, um local belíssimo com quatro das mais belas cachoeiras de SP. As quedas variam de 20 a 80 metros. O local é muito procurado por quem quer apenas tomar um banho ou praticar esportes radicais.
Outra excelente opção é o Parque Natural Municipal da Cachoeira da Marta. O local abriga o vale do rio Roseira (foto) que forma um lago represado e uma cachoeira, com 37 metros de queda e piscina para banho.

Para os amantes dos banhos de cachoeira, existem mais duas alternativas: as cachoeiras da Indiana e da Fazenda Canela.  A primeira tem cachoeiras com 15 metros de altura e escorregador natural, enquanto na segunda as quedas de água são maiores e variam de 20 a 45 metros.
Quando você for a Botucatu, visite também o Gigante Adormecido, uma formação rochosa composta por três pedras que lembram uma pessoa deitada de barriga para cima – daí a origem do nome. O local é ligado às velhas lendas sobre o povoado da região.
Mas, se você prefere algo mais tranquilo, a dica é o passeio de trem que parte de Botucatu em direção à vizinha Concha. Durante o percurso, você vai se encantar com a beleza da região.

E em breve, o antigo prédio do Fórum será reformado para se transformar em Museu da Arte Contemporânea Itajahy Martins e a Pinacoteca de Botucatu, que receberá, periodicamente, parte do acervo da Pinacoteca do Estado, que fica no bairro da Luz, em São Paulo.

Por fim, um roteiro no interior de SP para quem gosta de aventura é Rio Bonito Campo e Náutica.

Nesse local, antes funcionava o antigo Porto Martins por onde era escoada grande parte da produção regional para São Paulo. Com o represamento do Rio Tietê por volta de 1960, o local foi coberto pelas águas. Agora ali são disputadas provas de natação de longa distância, jet-ski e esqui aquático. Saiba mais sobre a Associação Atlética Botucatuense -- AAB

***

Roteiros históricos

Pedra do indio | Paulo Li
A cidade é também uma viagem pela história. Os monumentos geográficos serviram de referência para os incas percorrerem o famoso caminho do Peabiru, trilha que ligava as terras peruanas ao Oceano Atlântico. A região do Peabiru foi ainda sede de fazendas de jesuítas, condes e povos de diversos países e também rota de tropeiros.
Entre os prédios históricos, está a Escola Dr. Cardoso de Almeida. Segundo a população é o prédio mais bonito da cidade. Desde 1985, o prédio que foi projetado pelo arquiteto francês Victor Dubugras é utilizado para o ensino.

Outro imóvel que se destaca pela sua beleza é o prédio do consulado de Portugal. Construído em 1901 para a Caridade Portuguesa Maria Pia, instituição que ajudava imigrantes, o prédio já foi sede da câmara municipal da cidade.

Colégio Santa Marcelina | Paulo Li
Também se destaca pela beleza é a Fazenda Lageado, que foi edificada em 1936 e está localizada dentro das dependências da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

O local abriga o Museu do Café onde o visitante poderá conhecer um pouco sobre a história da indústria cafeeira do Oeste Paulista. Apesar das alterações sofridas, a fazenda conserva seus porões, a antiga senzala, os tanques de lavagem, os terreiros para secagem do café e as casas de máquina de beneficiamento.

***

Como chegar em Botucatu

Localizada no centro do Estado, a cerca de 235 km da capital, Botucatu é conhecida como “a cidade dos bons ares, das boas escolas e das boas indústrias”.

O acesso a Botucatu pode ser feito pelas Rodovias Castelo Branco (SP-280) e Marechal Rondon (SP-300). Há também acesso para Piracicaba pela rodovia Geraldo Pereira de Barros e para Jaú pela rodovia João Melão, pela Marechal Rondon.

Nenhum comentário